terça-feira, 22 de outubro de 2013

Torne-se Shiva!




Shiva, é o Deus dos Yogis, aquele que destroi para construir algo novo. 
Aquele que transforma. 
Aquele que renova. 

Sempre digo que na tradição Hindu, todos os Deuses são representações dos poderes e capacidades que temos dentro de nós. Para nós seres humanos, é mais fácil reverenciar os poderes dos Deuses e seres divinos, do que os nossos poderes internos. 
Muitas vezes esquecemos das nossas reais capacidades.
E do quanto somos fortes e divinos! De que somos todos Deuses!

Então, quando reverenciamos Shiva, estamos na verdade lembrando do nosso poder interno de transformação, de renovação, de destruir medos e crenças negativas. 

Quando reverenciamos Ganesha, o Deus com cabeça de elefante, o removedor de obstáculos, na realidade estamos nos conectando com a nossa vontade de remover tudo que não serve mais. Com a nossa intenção de começar algo novo, mais verdadeiro e mais real. 

 E assim acontece com todas as outras representações das divindades. 

Vamos então iniciar uma jornada aos caminhos internos.
 E o caminho mais fácil de acessar esse caminhos internos, é através dos mantras.
Os mantras são sons de poder milenares e muito poderosos.

Cada divindade tem seu mantra.

O mantra de Shiva é Om Namah Shivaya.
Quando cantamos esse mantra, cada célula de nosso corpo percebe que somos essa divindade.
Que somos esse poder cósmico que transforma nossa consciência.

Sugiro que cada um de nós, cante esse mantra 108 vezes por 21 dias seguidos.
Porque 108 vezes? De acordo com as escrituras védicas, no nosso corpo há 108 grandes Nadis ou canais de energia. Quando cantamos um mantra 108 vezes a energia flui por todo o corpo físico e sutil. E também de acordo com as tradições na Índia, para um mantra começar a mudar a frequência no corpo é necessário pelo menos 21 dias seguidos. Sugiro que você use um Japamala, um colar feito de 108 sementes, contas ou pedras, tradicionalmente usado como um instrumento de oração.

Pode ser canto em voz alta, ou pode ser entoado mentalmente.
Você pode praticar sozinho, ou em grupo.
O importante é conectar-se.

Mandem seus comentários, me escrevam contando como está sendo essa jornada para vocês.
Vamos unir nossos corações e mentes e formar uma corrente poderosa onde tudo é possível!

Namastê!
Boa jornada!


"Shiva is the God of life and death, of destruction and rebirth. The whole life process is imminent in him, but he transcends it and inhabits a mental, emotional and spiritual space which is difficult to understand through intellectual processes alone. To embrace Shiva, to comprehend his power, involves an intuitive leap into our deepest inner selves".


Um comentário:

Andréa Giansante disse...

Primeiro contato com o blog e estou encantada! Quero saber mais e mais e mais!! Parabéns!