quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

O Cético e o Lúcido



O CÉTICO E O LÚCIDO

No ventre de uma mulher grávida estavam dois bebês. O primeiro pergunta ao outro:- Você acredita na vida após o nascimento?- Certamente. Algo tem de haver após o nascimento. Talvez estejamos aqui principalmente porque nós precisamos nos preparar para o que seremos mais tarde.- Bobagem, não há vida após o nascimento. Como verdadeiramente seria essa vida?- Eu não sei exatamente, mas certamente haverá mais luz do que aqui. Talvez caminhemos com nossos próprios pés e comeremos com a boca.- Isso é um absurdo! Caminhar é impossível. E comer com a boca? É totalmente ridículo! O cordão umbilical nos alimenta. Eu digo somente uma coisa: A vida após o nascimento está excluída - o cordão umbilical é muito curto.- Na verdade, certamente há algo. Talvez seja apenas um pouco diferente do que estamos habituados a ter aqui.- Mas ninguém nunca voltou de lá, depois do nascimento. O parto apenas encerra a vida. E afinal de contas, a vida é nada mais do que a angústia prolongada na escuridão.- Bem, eu não sei exatamente como será depois do nascimento, mas com certeza veremos a mamãe e ela cuidará de nós.- Mamãe? Você acredita na mamãe? E onde ela supostamente está?- Onde? Em tudo à nossa volta! Nela e através dela nós vivemos. Sem ela tudo isso não existiria.- Eu não acredito! Eu nunca vi nenhuma mamãe, por isso é claro que não existe nenhuma.
- Bem, mas às vezes quando estamos em silêncio, você pode ouvi-la cantando, ou sente como ela afaga nosso mundo. Saiba, eu penso que só então a vida real nos espera e agora apenas estamos nos preparando para ela...


A pessoa que escreveu este texto foi muito iluminada pelo CRIADOR. A forma utilizada para esclarecer uma dúvida que atormenta a maioria da humanidade é muito criativa. Como achar que não exista vida após o nascimento? Esta questão é a mesma de não acreditar em vida após a morte! Tudo depende de um ponto de referência. Usar o óbvio para explicar o duvidoso.


**Autor desconhecido.

quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

Pensamento do Mês!



The baby knows when to be born!
The baby knows how to be born!

Your body knows how to give birth!
Your baby fits your pelvis perfectly!

~ Janet Balaskas


*O bebê sabe quando nascer!
O bebê sabe como nascer!
Seu corpo sabe como dar a luz!
Seu bebê se encaixa perfeitamente na sua pelvis!

*Tradução livre feita por mim.

segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

Ganesha Gayatri


Om Ekadantaya vidmahe
Vakratundaya dhimahi
Tanno dantih
Prachodayat

Om
Contemplemos Ganesha.
Meditemos sobre a força do deus-elefante que remove todos os obstáculos. 
Que o deus com uma presa nos ilumine.

quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

Mais Amor Por Favor!


Em todas as suas ações, gestos, palavras, pensamentos. 
Sempre faça tudo com AMOR. 
Antes de falar alguma coisa para alguém, pense isso vai gerar amor? 
Vai gerar benefícios ao próximo? 
E a forma como as coisas são ditas, expressadas também fazem muita diferença.
Ao interagir com AMOR ao Universo, ele te devolve AMOR em dobro.
Tudo feito com AMOR, gera AMOR. 
Pense nisso. 

Namastê

terça-feira, 10 de janeiro de 2012

India is True Love




India is a MIRROR of yourself
India is big SMILES
India is MAGIC

India : My LOVE

segunda-feira, 9 de janeiro de 2012

A Deusa




"A deusa torna o corpo e a vida sagrados, 
e liga-nos à divindade que permeia toda a matéria: o seu órgão simbólico é o útero. "


"O seu órgão de conhecimento é o coração.
 Tanto o coração como o útero são vasos através dos quais a vida desperta. 
São ambos cálices para o sangue que os enche e os esvazia. 
Um sustenta a vida, o outro traz novas vidas ao mundo."

~ Jean Shinoda Bolen, do livro "O Milionésimo Círculo"

quarta-feira, 4 de janeiro de 2012

Pensamento do dia




                                                               

Love is our true essence. 
Love has no limitations of caste, religion, race, or nationality. 
We are all beads strung together on the same thread of love. 
To awaken this unity and to spread to others the love that is our inherent nature 
is the true goal of human life. 
- Amma

segunda-feira, 2 de janeiro de 2012

Uma Lenda Hindu




"Conta uma velha lenda hindu que outrora todos os homens eram deuses, mas abusaram de tal modo da sua natureza divina que Brahma, o Senhor dos deuses, decidiu retirar-lhes esse poder divino e escondê-lo em lugar onde lhes fosse impossível encontrá-lo. O problema, contudo, era encontrar esse esconderijo. Brahma convocou, pois, todos os deuses menores a fim de resolver este problema, e a sugestão que eles lhe deram foi enterrar a divindade do homem bem no fundo da terra. Mas Brahma respondeu-lhes que isso não seria suficiente pois o homem escavaria a terra e acabaria por reencontrar a sua natureza divina. Então os deuses sugeriram que se atirasse para o fundo do mar a natureza divina do homem. E de novo Brahma lhes respondeu que, mais tarde ou mais cedo, o homem exploraria as profundezas do mar e a recuperaria. Os deuses menores já não sabiam que outros lugares poderiam existir, quer na terra quer no mar, onde o homem não conseguisse chegar um dia. Então Brahma disse: "Vamos fazer o seguinte com a natureza divina do homem: vamos encondê-la bem no fundo de si mesmo, pois será esse o único lugar onde o homem nunca a irá procurar."E desde esse dia, segundo conta a lenda, o homem tem percorrido e explorado o mundo, subido às montanhas mais altas e descido às grandes profundezas da terra e do mar, sempre à procura do que está dentro de si próprio."

Contos da India:. Somente para Amantes da Música


"Aconteceu em Lucknow, nos tempos de Vajid Ali Sha. Ele era o rei de Lucknow e um grande amante da música. Tinha o costume de convidar os dançarinos, cantores e músicos à sua corte. Porém, havia um músico que sempre se recusava a ir à corte. Um dia, Vajid Ali Sha foi pessoalmente pedir a ele para que tocasse em seu palácio.

O músico lhe disse:

- Irei, mas com uma condição: quando estiver tocando e cantando, ninguém poderá mexer a cabeça. Se alguém o fizer, deverá ser decapitado.

Vajid Ali Sha informou toda a cidade de Lucknow:

- Aqueles que quiserem vir devem saber que é perigoso. Os soldados estarão atrás de cada comensal, com as espadas na mão, prontos para decapitar o primeiro que mexer a cabeça.
Naquela época, Lucknow tinha mais ou menos dez mil amantes da música, porém, só cinquenta apareceram no concerto. Era perigoso! Podia-se mexer a cabeça por causa de um mosquito ou esquecer-se do aviso, pois o músico era muito genial... as cinquenta pessoas ali presentes eram todas amantes da música. Elas estavam arriscando suas vidas.

O músico começou a tocar e era tão genial que, em quinze minutos, algumas cabeças começaram a se mexer. Vajid Ali Sha ficou muito nervoso porque não era só uma cabeça, mas várias e logo outras se juntaram e finalmente todas. Estava muito preocupado porque havia feito uma promessa.
Quando o músico terminou a primeira parte, Vajid Ali Sha lhe perguntou:
-Mando cortar as cabeças? Estou disposto a cumprir com a minha palavra.
O músico deu uma grande gargalhada.

-Não se preocupe. Impus essa condição para que só os verdadeiros amantes da música viessem. Por favor, retire todos os soldados. Agora que todas as cabeças se mexeram continuarei a tocar. Este é o público que esperei durante toda a minha vida. Estas são as pessoas que se esqueceram de si mesmas, que se esqueceram inclusive que corriam o risco de morrer."

"Aproveite cada momento, como se fosse o último. 
Aproveite a vida em sua totalidade. 
Aproveite tudo e cada coisa até o ponto em que se esqueça de si mesmo."