quarta-feira, 23 de julho de 2008

Pranayama

Um praticante recém-chegado ao mundo das posturas do Hatha Yoga provavelmente se surpreende ao saber que a maioria dos mestres dá mais importância à respiração do que à forma física dos asanas, e que existem aulas para aprender a respirar. A gente já inspira e expira naturalmente. O que tem de difícil nisso? O tempo passa, a prática evolui e as posturas despertam um interesse maior na mente, no espírito e – sim! – na respiração.

A exploração silenciosa e atenta da inspiração e da expiração são vale-transporte para um oásis interno de tranqüilidade. Conforme se aprofunda na prática, fica mais fácil entender por que os antigos yogis indicam a respiração como a conexão vital entre o mundo interno e o externo. A vasta coleção de exercícios respiratórios do Yoga, chamados pranayamas, tem sido cultivada por milhares de anos pelos praticantes que procuram acalmar suas incansáveis mentes enquanto nutrem seus estoques de energia vital.

Segundo a filosofia yogi, essa vitalidade invisível, chamada prana em sânscrito, permeia cada milímetro do universo. Os mestres do Yoga ensinaram que controlando conscientemente a forma como respiramos podemos aprender a concentrar, reter e até direcionar o fluxo de prana dentro de nós.Diferente da meditação sentada, onde podemos simplesmente nos concentrar na respiração, o pranayama enfatiza a mudança na forma que respiramos.

Em algumas práticas, você retém a respiração por um longo período, em outras, respira mais de 100 vezes por minuto. Outras ainda requerem minuciosas torções da língua, perfeição na contração de vários fechos de energia do corpo, chamados bandhas, manipulação precisa da barriga, costelas e peito. Essas práticas avançadas requerem anos de estudo com um professor experiente.Felizmente, algumas das técnicas mais poderosas são também simples. Elas podem revolucionar a forma como respiramos, sentimos e nos relacionamos com o mundo nossa volta.


Começe por prestar atenção à sua respiração. Você respira pelo nariz? Ou pela boca? É uma respiração longa ou curta e ofegante? Tem dificuldade em respirar em momentos de stress? Nem se lembra que está respirando?

Se observe e se conheça. Isso já é um ótimo início!

Mas lembre-se! Se você tiver qualquer problema de saúde consulte seu médico antes de dar início aos exercícios respiratórios.

Fonte: Revista Prana Yoga Journal

Nenhum comentário: